Como reduzir os custos com sangria de caixa

Economia Jul 19, 2021

Gestores operacionais e financeiros e varejistas estão sempre buscando formas de diminuir custos operacionais sem afetar a qualidade e reputação do negócio.

Um dos principais custos operacionais que todo varejista tem é com a sangria de caixa.

Essa operação, ainda muito comum no varejo, principalmente em supermercados, tem o objetivo de garantir mais segurança para o caixa, evitando o acúmulo de grandes quantias no PDV. Além das sangrias não programadas, a retirada do dinheiro também pode ocorrer de forma programada.

Mas, você sabia que as sangrias de caixa podem chegar a custar, por mês, 14 mil reais?

Neste artigo, preparamos algumas dicas para te ajudar a reduzir os custos com sangria, além de uma solução financeira definitiva para resolver esse problema.

Ainda muito comum em supermercados, minimercados, postos de gasolina e farmácias, as sangrias geralmente são realizadas diversas vezes ao dia para:

  • Obter mais segurança no PDV, diminuindo o dinheiro disponível em caixa;
  • Para facilitar a contabilização do fluxo de caixa e entender quais valores estão entrando e saindo e, assim, evitar a temida “quebra de caixa”.

Porém, mesmo sendo um procedimento muito comum no varejo e, aparentemente, benéfico, as sangrias de caixa geram prejuízos financeiros para os varejistas.

Por que as sangrias geram prejuízos para o varejo?

Os prejuízos financeiros que as sangrias geram estão relacionados aos custos que a gestão do dinheiro gera.

Por exemplo: ao fazer a sangria, o varejista precisa retirar o dinheiro do caixa, guardá-lo em um cofre inteligente e depois transferi-lo para o banco.

Essa operação frequente pede que o varejista pague mensalmente a manutenção de um cofre inteligente - que pode variar bastante conforme o tamanho do cofre - além dos custos com a transportadora de valores.

Além desses gastos fixos, há ainda os prejuízos não “vísíveis”, como o tempo de trabalho dos operadores e fiscais de caixa que perdem tempo de trabalho para realizar a operação.

Outro prejuízo ocorre com a insatisfação do seu cliente: ao aguardar na fila de pagamento enquanto a sangria é realizada, o cliente sente-se prejudicado e insatisfeito com o atendimento fornecido, dificultando, assim, sua fidelização ao estabelecimento.

Como reduzir os custos com sangria?

Algumas estratégias e soluções que diminuem consideravelmente a quantidade de sangrias e, consequentemente, de custos com a operação.

Confira três dicas:

1) Estimule a circulação de dinheiro no seu negócio: Uma das maneiras de reduzir a necessidade desse tipo de procedimento é justamente fazer com que o dinheiro circule dentro do seu próprio negócio, seja tendo outras lojas no seu varejo - como quiosques - ou oferecendo o serviço de saque de dinheiro direto no PDV. Dessa maneira, o dinheiro acumulado também sai, evitando assim que o seu caixa se torne menos seguro.

2) Tenha um sistema de frente de caixa integrado: Para diminuir o número de sangrias, utilize um sistema de frente de caixa integrado.

3) Invista em soluções financeiras que diminuam a quantidade de sangrias: A melhor alternativa para diminuir os custos com sangria, certamente é investir em soluções financeiras. Responsáveis por resolver os problemas como a falta de troco, o excesso de sangrias, a quebra de caixa e a lentidão no atendimento, essas soluções oferecem excelente custo-benefício para o varejista. Confira abaixo uma delas.

Solução para reduzir os custos com sangrias: Sled Saque

A maneira mais eficaz de resolver esse problema é utilizar uma solução financeira. A Sled é a única plataforma que conecta o varejo físico com o sistema financeiro.

Com a solução Sled Saque, você oferece o saque de dinheiro no seu PDV e diminui consideravelmente a quantidade de sangrias realizadas.

Quer saber como?

Durante o horário de funcionamento do estabelecimento, o dinheiro que entra nas compras efetuadas acumula no caixa, sendo necessária a realização de sangrias.

Em dias de muito movimento, por exemplo, são necessários, em média, realizar de 5 a 10 sangrias por dia, operação geralmente realizada quando o caixa atinge valores entre R$ 300 e R$ 600.

Assim, ao oferecer o saque, a tendência é haver equilíbrio entre o dinheiro que entra e o que sai do caixa. Este processo diminui a quantidade de sangrias sem interferir no fluxo de caixa do varejista.

Acesse este link e saiba mais!

Assuntos

Ótimo! Você se inscreveu com sucesso.
Ótimo! Agora, complete o checkout para acesso completo.
Bem-vindo novamente! Você fez login com sucesso.
Successo! Sua conta foi ativada, agora você tem acesso a todo o conteúdo.